21
MAR


Investidores e empresários devem se atentar à nova lei de proteção de dados

          Investidores devem ter muito cuidado e atenção com a proteção de seus dados, garantindo procedimentos mais seguros e confiáveis para seus negócios e transações. Para isso, a tecnologia pode ser uma inimiga ou uma aliada: portanto, a nova lei de proteção de dados exige atenção dos empresários.

          Para garantir que a tecnologia facilite e não complique processos simples ou complexos, desde o preenchimento de formulários até o fornecimento de dados secretos para transações bancárias, é importante que o usuário tenha confiança na empresa para depositar ali suas informações, bem como a empresa precisa garantir a segurança desses dados.

        Justamente com a finalidade de garantir a segurança e comprometimento em manter os dados dos investidores e empresários seguros, a nova lei de proteção de dados pessoais nº13.709 foi sancionada em agosto de 2018 – e o cliente cooperado ou de serviços bancários deve exigir isso das empresas com as quais envolve os dados de sua empresa.

        Partindo do princípio que todas as empresas exerçam atividades com fins econômicos e que irão, em algum momento, lidar com dados pessoais, a lei passará a entrar em vigor em 14 de fevereiro de 2020. As mudanças que constam nessa nova lei que implica na proteção de dados incluem mudanças consideráveis para os empresários, que visam garantir o direito à privacidade do titular com o intuito de aumentar a segurança jurídica. 

       O não cumprimento desses acordos deve implicar em sanções administrativas ou ainda na responsabilização direta dos controladores e operadores de dados. Por isso, é essencial os investidores possuírem plena confiança na cooperativa de crédito com a qual trabalham e fornecem seus dados.

Fonte: https://www.infomoney.com.br